Ser irmã no carisma luz da vida...

É ter um coração que guarda, que protege o carisma, que zela pelas vocações Luz da Vida, juntamente com Nossa Senhora que também tem semelhante papel; portanto, é necessário que as irmãs tenham um amor redobrado ao Carisma.

 

É ser o coração orante, intercessor da Comunidade, por meio disso, ser fecunda, concretizando a maternidade espiritual ao gerar vidas para o carisma Luz da Vida, para a Igreja. A intercessão consiste em muito mais que apenas rezar, mas especialmente escutar e obedecer à Palavra de Deus, ter atitudes a partir da escuta. Ser mulher da Palavra de Deus.

 

Elas devem ter a disposição para morrer para si mesmas literalmente todos os dias de suas vidas, morrer para os próprios interesses para nascer aquelas que fazem brilhar a Face de Jesus Luz da Vida.

É ser capaz de dar a vida, se preciso for, por amor ao Reino de Deus. É ser sacrifício ofertado ao Senhor: “Eu vos exorto, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, a oferecerdes vossos corpos em sacrifício vivo, santo, agradável a Deus: é este o vosso culto espiritual. Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação de vosso espírito, para que possais discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, o que lhe agrada e o que é perfeito” (Rom 12,1-2). Deste sacrifício deve exalar o perfume que contagia outras pessoas, o perfume da oblação integral de suas vidas.

Ter uma total abertura para se consumir por amor a Jesus crucificado, tomar posse definitivamente da cruz. A religiosa Luz da Vida deve encarnar em plenitude a palavra de Mt 16,24-26: “Em seguida Jesus disse a seus discípulos: ‘se alguém quiser vir comigo, renuncie-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me. Porque aquele que quiser salvar sua vida, perdê-la-á; mas aquele que tiver sacrificado a sua vida por minha causa, recobrá-la-á”. A consagrada à vida religiosa não pode se guardar, deve fazer de sua vida uma doação constante, ser como o Cordeiro que não abriu a boca.

Aquelas que são chamadas a esta singular vocação precisam mergulhar na pessoa de Cristo, de modo a se configurarem a Jesus Cristo, tornando-se  sinal visível de Jesus no mundo,  imitando a vida, os passos do Senhor desde as pequenas situações do dia-a-dia até às situações  maiores. Suas vidas devem ser um anúncio vivo de Jesus Cristo pobre, casto e obediente trazendo como fundamento de suas vocações a vida fraterna em comunidade. “Para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso pai que está nos céus” (Mt 5,14-16). 

Ser mulheres que dão exemplo de confiança plena em Deus, de uma total submissão aos desígnios de Deus, é esta confiança, este abandono que as fará dar testemunho de amor a Jesus – face luz – e é isso que trará a realização pessoal.

Viver em plenitude a alegria de ser eleita pelo Senhor a ser esposa de Cristo crucificado, testemunhando a felicidade de ter encontrado o precioso tesouro, refletindo a Luz da Vida em suas faces.

“Deus ama a alma que não impõe limites à Sua graça” – a esposa de Cristo deve dar-se inteiramente a Ele, entregar-se à Sua ação transformadora.

Para isso, as irmãs não podem tirar os olhos do crucificado, eles precisam estar fixos no olhar de Jesus, que clama pela salvação das almas: “Tenho sede”. Portanto, é fundamental cultivar um coração indiviso, um coração que não dá espaço para outros amores, mas que é todo do Senhor e para o Senhor.

A vocação Luz da Vida à vida religiosa é um refrigério para as chagas de Jesus Cristo, por meio da fidelidade das consagradas.

Aspecto essencial para esta vocação é a submissão e a obediência, uma vez que estas características concedem a liberdade interior que é responsável pela verdadeira alegria.

Participe do Encontro vocacional para irmãs Luz da Vida

Data: 03 a 05/08

Local: Auditório da Paróquia Sagrada Família

Informações: 3247-2000

Venha ser uma guardiã deste Carisma!

 

 

 

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar